Helena Macuco Mosca

Rubens Macuco Mosca
Rubens Macuco Mosca

Seu pai maestro, compositor, professor e jornalista Radamés Mosca. Sua mãe professora normalista, escritora, poetisa e jornalista Nathercia Macuco Mosca.

Aprendeu as declinações latinas com seu irmão mais velho e começou a ler assistindo televisão (1950), por volta dos cinco anos, alfabetizado por sua mãe.

Aprendeu os primeiros passos de como fazer um jornal com seu pai: do “boneco” à diagramação, revisão, impressão, expedição e distribuição dum jornal.

Exerceu jornalismo em jornais e revistas, de início no Correio Paulistano (centenário jornal paulista), O Dia (1966 estagiário revisor). Democracia Cristã, Batalhão em Destaque, Vila Mariana Jornal, na Revista Jardins, com Oliveira Laet, ora como arquivista, ora diagramador, ora como revisor (que era seu forte) .Nunca foi registrado regularmente como Jornalista Profissional.

Proprietário duma tipografia, quando Jânio Quadros renunciou à presidência da República, já produzia jornais de diversas regiões, a chamada microimprensa, tanto em seu Estado, quanto no Paraná, Goiás e outras localidades, durante décadas. Fundou o jornal O Consumidor (1974), vanguardista que era, o primeiro especializado no assunto.

Membro do Sindicato dos Jornalistas no Estado de São Paulo, da Associação Brasileira de Imprensa, da Federação Nacional dos Jornalistas, da Associação Interamericana de Prensa. Foi o mais jovem membro da Ordem dos Velhos Jornalistas, quando lá ingressou, na década de 70. Fundou a U.B.I. – União Brasileira de Imprensa e o Birô de Imprensa – Agência de Notícias.

Seu livro “Como Ficar Rico em Trinta Dias” deu-lhe muitas alegrias. Gostava de escrever contos e poesias (hai kais de preferência) vezes em que usava pseudônimos

Helena e Radamés Macuco Mosca, irmãos de Rubens, foto acima, filhos do grande Radamés Mosca: mestre de mestres.
Helena e Radamés Macuco Mosca, irmãos de Rubens, foto acima, filhos do grande Radamés Mosca: mestre de mestres.

Juntou seu acervo, uma biblioteca por volta de cinco mil volumes, formando o Centro Pluriaudiovisual de Cultura Rubens Macuco Mosca , primeiro em Itaquaquecetuba, interior de São Paulo, depois transferido para Mongaguá, Costa da Mata Atlântica, Litoral Sul de São Paulo, tudo financiado por ele. Recebeu inúmeras doações ampliando o acervo do Centro Cultural, mantendo a Sala de Leitura José Mindlin, com o aval do Grande Bibliófilo.

Firme em suas convicções, idealista por excelência, acreditava nas pessoas, incentivando a cultura e a instrução àqueles que o cercavam.

Ao seu irmão mais velho, musicista e compositor como seu pai, sugeriu que usasse o nome de Radamés da Gaita (harmônica de boca ou realejo, como querem uns).

Acometido por problemas cardíacos Mosca recusou tratamento na Capital, confiante no pronto atendimento pelo AME e Hospital Guilherme Álvaro para procedimento específico de urgência, fato que não ocorreu, o que teria, quiçá, prolongado sua vida. Sofreu infarto letal.